terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Papel de Parede Fogueira Santa


Sacrifício: o sinal da fé para vencer

A fé exige sacrifício e atitude! Não há outra forma de a pessoa ser salva senão pela fé. O amor e a doutrina não salvam. A fé é a única coisa capaz de salvar as pessoas e de fazê-las conquistar os benefícios de Deus.
Esta é a grande revelação que o Espírito Santo tem nos dado! As pessoas acreditam que possuirão méritos diante de Deus por fazerem caridade. E os que não podem fazer caridade? Por acaso não terão mérito para o Senhor? Seria Deus injusto! Logo, não é pela caridade que seremos atendidos. O que faz a pessoa ser ouvida é a fé.
No livro de Gênesis, Deus apareceu para Abraão e disse: “Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande. Respondeu Abrão: Senhor Deus, que me haverás de dar, se continuo sem filhos e o herdeiro da minha casa é o damasceno Eliézer?” (Gênesis 15.1,2).
Em outras palavras, Abraão falou para Deus: Ó Senhor, de que me adianta o Senhor ser o meu escudo, dar-me as bênçãos materiais, se não tenho um herdeiro? Eu tenho Lhe seguido por 25 anos, mas ainda não vi a promessa de ser pai de numerosas nações! Abraão reivindicou, reclamou! Então, Deus disse: “Não será esse o teu herdeiro; mas aquele que será gerado de ti será o teu herdeiro. Então o conduziu até fora e disse: Olha para os céus e contas as estrelas, se é que podes. E lhe disse: Será assim a sua posteridade” (Gênesis 15.4-6).
Quando Abraão viu essa grandeza, ele creu no Senhor e isso lhe foi imputado para justiça. Disse-lhe mais: “Eu sou o Senhor que te tirei de Ur dos caldeus, para dar-te por herança esta terra. Perguntou-Lhe Abrão: Senhor Deus, como saberei que hei de possuí-la?” (Gênesis 15.6-8).
Deus só fez a promessa a Abrão, depois que ele cobrou; após ele ter tido a petulância de falar que nada do que tinha lhe adiantava, se não tivesse um herdeiro... Quando Abraão pediu um sinal, imediatamente, Deus disse: “Toma-me uma novilha, uma cabra e um cordeiro, cada qual com três anos, uma rola e um pombinho” (Gênesis 15.9).
Para Deus mostrar o sinal de que cumpriria a Sua Palavra, Abraão teve de mostrar um sinal da sua fé, apresentando-Lhe um sacrifício. Quando fazemos um sacrifício a Deus, estamos mostrando a Ele um sinal de nossa participação. Existe uma parceria - você e Deus!
Desse modo, você não pode usar uma fé emotiva! A fé tem de ser inteligente – pensar e agir. Lembra o que Jesus falou? Ninguém constrói uma torre sem antes sentar-se e calcular o material que será preciso! Portanto, você tem de saber se está disposto a sacrificar porque, desde que você manifeste a fé com um sinal concreto, Deus será obrigado a manifestar um sinal também em sua vida!
Deus abençoe a todos.
Bispo Edir Macedo

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O Sacrifício Libera a Fé

Um dos membros da IURD na África foi o braço direito de um determinado líder revolucionário. Ele nos contou várias barbaridades cometidas pelo seu chefe durante o período da revolução.

Sempre que conquistavam uma vila ou cidade, dependendo do grau de importância da mesma, eram feitas ofertas de sacrifícios humanos.

Logo após sua entrada na cidade, imediatamente acendiam uma enorme fogueira. Em seguida os soldados arrancavam crianças inocentes dos braços das mães e as jogavam vivas no fogo.

Era o preço cobrado pelas entidades espirituais a quem ele servia.

Mas a história continua registrando vários tipos de sacrifícios humanos feitos em busca do sucesso a qualquer preço.

Em entrevista à BBC, o ex-rebelde liberiano Milton Blahyi, comandante durante a guerra civil na Libéria, hoje pastor, admitiu ter participado de sacrifícios de crianças inocentes como parte das cerimônias tradicionais para garantir a vitória nas batalhas.

Israel foi o primeiro aprender o valor dos sacrifícios, não humanos, mas sim o de animais, oferecidos antes das batalhas. Eles davam segurança de vitória. Por conta disso os soldados eram encorajados a lutar porque tomavam posse da certeza da vitória.

Os sacrifícios do povo judeu cessaram logo após a destruição do Templo no ano 77 da era Cristã. Desde então Israel aguarda ansioso para reconstruí-lo a fim de voltar à prática dos sacrifícios.

O fato é que o sacrifício sempre foi uma forma de expressão de fé e confiança. Ele desperta a fé acomodada, adormecida, morna ou fria… Como um ato exclusivamente de fé individual o perfeito sacrifício obriga o Fogo de Deus descer para consumi-lo.

Para os que acreditam no poder do sacrifício, ele tem sido o segredo da vitória pela fé. Ainda hoje, quem quiser ser feliz, precisa viver a Fé do maior Sacrifício. O sacrifício de abandonar o pecado e entregar toda a vida no altar de Deus.

Bispo Macedo

Pintura de Abraão


quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Oração e Sacrifício


Muitas pessoas têm pensado que, dada nossa autoridade espiritual, as respostas de Deus às nossas orações particulares são quase que imediatas.
Felizmente, ou infelizmente, não são. Deus sabe.

Há anos temos perseguido um sonho especial. Orações pelas madrugadas, jejuns e até gemidos. Por que meu Deus e meu Pai?

Nisso a resposta não demorou. Estava bem lá dentro da Bíblia. Livro de Juízes, capítulo 20.

Levados pelas circunstâncias os filhos de Israel viveram um grave problema familiar. Um de seus filhos teve sua mulher violentada e morta por alguns de seus irmãos da tribo de Benjamin. Sedentos por justiça e sob o consentimento de Deus Israel subiu contra a tribo de Benjamim.

No primeiro dia de batalha foram derrotados e perderam 22 mil homens.
Israel não se intimidou e de novo voltou-se contra os benjamitas. Mas desta vez choraram perante o Senhor até à tarde, e O consultaram, dizendo:

"Tornaremos a pelejar contra os filhos de Benjamim, nosso irmão? E o Senhor respondeu: Subi contra ele. Novamente Israel foi derrotado e perdeu 18 mil soldados."

Perseverou Israel e pela terceira vez consecutiva voltou-se contra os "IRMAUS".

Mas dessa vez Israel primeiro subiu a Betel, e chorou, e esteve ali perante o Senhor, e jejuou aquele dia até à tarde; e, perante o Senhor, ofereceu holocaustos e ofertas pacíficas. (Jz 20:26)

A partir de então tiveram a visão Divina de como poderiam derrotar os benjamitas. Colocaram o plano em prática e obtiveram a vitória completa.

Resumindo: Israel orou na primeira vez e mesmo com a permissão Divina, perdeu. Segunda vez Israel orou e até chorou. E ainda com a permissão Divina, perdeu outra vez. Terceira vez Israel orou, chorou, jejuou e sacrificou.

E a vitória total alcançou!
Deus nos dê coragem para assumirmos a fé!
Bispo Macedo

E daí?

Só há dois tipos de pessoas: os que crêem e os que não crêem em Deus. Todavia, no universo dos crentes, nem todos crêem de fato. Essa é a razão pela qual o número de incrédulos cresce sempre.

Crer em Deus é crer em Sua Palavra. Crer na Palavra é crer no Seu Autor. Essa crença envolve entrega incondicional da própria vida. E em resposta a isso vêm as revelações Divinas.
Mas quem tem crido na Bíblia Sagrada? Obviamente, nem todos. E daí? Por causa disso, ela perde seu poder? É possível a opinião de mortais como os céticos ou incrédulos neutralizar a Eterna Palavra? A Palavra é a mesma ontem, hoje e será para sempre. Ela independe de aceitação ou contradições especuladas pela ciência dos supostos sábios que passaram ou passarão por este mundo.
No entanto, aos afortunados que têm crido, é revelado o poder do Todo-Poderoso. Há respostas, vida, libertação, transformação e salvação aqui, agora e por toda a eternidade.
O que dizem, pensam ou mesmo blasfemam não interessa. E sim o que temos crido. Isso é o que, de fato, importa.

Deus abençoe a todos abundantemente.
Bispo Macedo

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Assita este vídeo

Este homem disse para o câncer que ele tinha entrado no corpo errado, ele não desistiu mesmo quando as coisas pioraram, ele se tornou famoso e enriqueceu, por que jamais desistiu...

Lance Armstrong - História de Vida
A diferença de Abraão e você...


Abraão creu mesmo quando tudo parecia perdido.
- Você tem crido, mesmo quando tudo parece perdido?

Abraão obedeceu sem ter medo das consequências.
- Você tem obedecido ou tem sido vencido pelo medo?

Abraão não olhou para o tempo, ele esperou com paciência o seu sonho se realizar.
- Você tem tido paciência de esperar? Ou está querendo desistir?

Abraão foi fiel até o fim.
- Você tem sido fiel?

Abraão sacrificou aquilo que Deus pediu, e não aquilo que ele queria.
- Você tem sacrificado o que Deus pediu, ou está fazendo a sua vontade?

Daí eu pergunto à você:

- Como você quer receber as promessas de Deus como Abraão recebeu, se você não tem feito aquilo que Abraão fez???

PENSE NISSO...

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A Revolta de Abraão

Graças à sua santa revolta diante de Deus, Abraão obteve a grandeza de visão das estrelas do céu.
Durante muitos anos Abraão vinha seguindo a direção Divina. Mas, a certa altura quando o medo de sua
fama por ter vencido cinco reis com apenas 318 homens invadiu seu coração. Pois pensava consigo: os
povos das regiões vizinhas vão pensar que quero imperar sobre suas terras. Certamente irão se juntar
contra mim.
Essa preocupação tomou conta de Abraão e o terror se apossou dele. Foi então que o Senhor lhe
apareceu e disse:
“Não temas, Abrão, EU SOU O TEU ESCUDO, e o teu galardão será sobremodo grande.” (Gn.15:1)
Mas ao invés de cobrar ânimo com tais palavras, Abraão logo manifestou a revolta que há muito trazia no peito: “Senhor Deus, que me haverás de dar, se continuo sem filhos e o herdeiro da minha casa é o damasceno Eliézer?…A mim não me concedes descendência, e um servo nascido na minha casa será o meu herdeiro.” (Gn. 15:2-3)
A meu ver tais palavras soam muito duras diante de Deus. Parece-me que naquele momento Abraão
estava pronto para o tudo ou nada, vida ou morte. Quem era ele para dirigir-se assim ao Senhor Deus?!
É como se o barro estivesse falando com o oleiro: estou cansado de ser manuseado, faz logo de mim um
vaso ou então… jogue- me fora!
Pura malcriação, falta de respeito, falta de reverência… Enfim, revolta mesmo!
Por outro lado, aos olhos de Deus o sentimento de Abraão era perfeitamente plausível, já que ele vinha
Lhe obedecendo a palavra há tanto tempo e seu grande sonho ainda não tinha sido concretizado. O
Senhor e somente o Senhor compreendia sua angústia.
Além disso, aquela manifestação de “malcriação santa”, na verdade expressava sua força em Deus.
Mostrava sua real dependência dEle. E isso era altamente positivo e agradava a Deus.
Creio que essa experiência de Abraão, bem como a de Gideão inspirou o escritor aos Hebreus escrever:
“De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que O buscam.”(Hb.11:6).
Além disso, nota-se o fato de que realmente dependia do cumprimento da promessa que o Senhor lhe
havia feito muitos anos atrás. De ti farei uma grande nação.
Ora, o anseio de Abraão tem de ser o mesmo daqueles que se predispõem a salvar almas. Aquele filho
tão almejado de Abraão representa as almas tão almejadas por aqueles que têm verdadeira paixão pelas
almas perdidas.
A resposta de Deus a Abraão foi instantânea, imediata…
A isto respondeu logo o Senhor…
Quantas orações tem sido feitas a Deus cujas as respostas têm demorado tanto, não é verdade?
Quantas vezes oramos tanto, jejuamos, fazemos vigílias e tudo mais por apenas uma única resposta de
Deus!!!
Por causa da revolta de Abraão, Deus logo respondeu.
Também graças a santa revolta diante do Anjo do senhor é que Gideão foi escolhido para salvar o povo
de Israel.
Penso que Deus permite chegarmos ao fundo do poço para despertar nossa fé sobrenatural e tornar
possível nossos impossíveis.

Bispo Macedo

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

A Eira da Decisão

É compreensível sofrer as consequências dos erros passados. Mas, e depois do livramento cristão? Por que tantas aflições mesmo sendo de Deus?

Estes e muitos outros questionamentos têm deixado muitos nascidos do Espírito perplexos.
Mas na história do povo de Israel encontramos respostas confortadoras.

Israel é uma região montanhosa. Em cada cidade antiga era costume usar montes para construir no seu topo a eira. Lembra a eira de Araúna? ( 2 Samuel 24.16 )

Pelo menos duas coisas serviam as eiras: uma para peneirar grãos. O trigo, por exemplo, era esmigalhado juntamente com sua casca. Em seguida lançado para o alto. E o vento que soprava na colina jogava para fora a palha enquanto o trigo caía dentro da eira.

A eira também servia como Tribunal de Justiça. Os anciãos da cidade, como juízes, se reuniam lá para julgar as causas do povo em geral. Devido sua forma arredondada, todos sentavam defronte uns dos outros. As partes eram ouvidas e os anciãos decidiam.

Ora, verifica-se claramente que, no fundo, a eira era lugar de julgamento e separação.

Quem é trigo fica, quem não é, cai fora!

As lutas são enormes, mas o galardão, segundo está escrito: nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam. ( I Coríntios 2.9 )

Por conta disso o Reino de Deus é tomado por esforço e só corajosos, valentes e fortes se apoderam dele. ( Mateus 11.12 )

Bispo Macedo
video

sábado, 3 de outubro de 2009

COMO A PRATA

Havia um grupo de mulheres num estudo bíblico do livro de Malaquias. Quando elas estavam estudando o capítulo três, elas se depararam com o versículo 3 que diz: "Ele assentar-se-á como fundidor e purificador da prata...". Este verso intrigou as mulheres, e elas se perguntaram o que esta afirmação significava quanto ao caráter e natureza de Deus.

Uma das mulheres se ofereceu para tentar descobrir como se realizava o processo de refinamento da prata e voltar para contar ao grupo na próxima reunião do estudo bíblico. Naquela semana, esta mulher ligou para um ourives e marcou um horário com ele para assistí-lo em seu trabalho.

Ela não mencionou a razão de seu interesse na prata nada além do que sua curiosidade sobre o processo de refinamento do metal. Enquanto ela o observava, ele mantinha um pedaço de prata no fogo e deixava-o aquecer. Ele explicou que no refinamento da prata devia-se manter a prata no meio do fogo onde as chamas eram mais quentes, de forma a queimar todas as impurezas. A mulher pensou em Deus mantendo-nos em um lugar tão quente; depois, ela pensou sobre o verso novamente... "Ele se assenta como um fundidor e purificador da prata".

Ela perguntou ao ourives se era verdade que ele tinha que sentar-se em frente ao fogo o tempo todo que a prata estivesse sendo refinada. O homem disse que sim, ele não apenas tinha que sentar-se lá segurando a prata, mas também tinha que manter seus olhos na prata o tempo inteiro. Se a prata fosse deixada, apenas por um momento em demasia nas chamas, ela seria destruída.

A mulher silenciou por um instante. Depois, ela perguntou: "Como você sabe quando a prata está completamente refinada?". E o homem respondeu: "Oh, é fácil! - o processo está pronto quando vejo minha imagem refletida nela".
Glória a DEUS!!!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O homem que mudou a decisão de Deus

Houve um homem na Bíblia que mudou a decisão de Deus. Isso mesmo. O Deus que não muda nem mente, teve que abrir uma exceção e voltar atrás na Sua decisão por causa de um homem.

Quando o rei Ezequias recebeu a notícia do homem de Deus que iria morrer da sua enfermidade, ele imediatamente recusou aquela palavra. Algo dentro dele rejeitou a idéia de morrer naqueles dias, com aquela enfermidade. “Sei que vou morrer um dia mas assim não, e agora não!”

A vergonha seria dupla: Um servo de Deus morrer doente (onde estava o “Senhor que te sara”?) e morrer no meio das ameaças de guerra do rei da Assíria.

A sua oração expressou um grito de injustiça. “Quer dizer Senhor que venho Te servindo todos esses anos para nada, para acabar assim?” Aquela oração tocou no mais profundo do coração de Deus e O fez mudar sua decisão. Acrescentou mais 15 anos à vida de Ezequias e prometeu livrá-lo do rei da Assíria. E o mais maravilhoso foi o que aconteceu em seguida. Tão simples como hoje apertamos a tecla “delete” no computador, Deus fez voltar o tempo em 45 minutos para “apagar” o que havia acontecido! Ou seja, não está mais aqui quem falou! “Ezequias, esquece o que Eu falei, isso nunca aconteceu.”

Isso mostra que ainda que alguém já tenha determinado a sua sina, VOCÊ pode sobrepujar aquela decisão tomando a SUA própria. Talvez o médico já decidiu o seu destino; o advogado deu a causa por perdida; sua família o carimbou como ovelha negra; o pastor desacreditou de você; o patrão lhe mandou embora; o marido não lhe quer mais...

Mas se VOCÊ decidir o que quer, e fizer o seu pacto com Deus, você pode mudar o seu destino. Você pode mudar qualquer coisa que parece já ter sido decidida para você. Use a sua fé, use o seu poder decisão.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Quando tudo parece perdido...

Muitas vezes passamos por situações difícieis, que parece impossível vencê-las. Pois, é exatamente neste momento que Deus quer ver nossa fé e confiança nEle, porque quando tudo está aparentemente perdido e mesmo assim continuamos crendo que Deus vai agir em nosso favor e manifestamos a nossa fé, então, o mar tem que se abrir, a tempestade tem de se acalmar, enfim o impossível tem que acontecer. Como aconteceu com o povo de Isarel, não havendo outra saída, Deus abriu o mar.
Se você está em meio a um deserto, não se desespere, Deus está contigo, Ele te carrega em Seus braços e te faz vencer tudo. Você só precisa ser perseverante e usar a sua fé.

Algumas maravilhas de Deus






segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Para Refletir

O CHEQUE ESCONDIDO

Era uma vez um rapaz que ia muito mal na escola. Suas notas e comportamento eram uma decepção para seus pais que, como bons cristãos, sonhavam em vê-lo formado e bem sucedido.
Um belo dia, o bom pai lhe propôs um acordo: Se você, meu filho, mudar o comportamento, se dedicar aos estudos e conseguir ser aprovado no vestibular para a Faculdade de Medicina, lhe darei então um carro de presente.
Por causa do carro, o rapaz mudou da água para o vinho. Passou a estudar como nunca e a ter um comportamento exemplar. O pai estava feliz, mas tinha uma preocupação. Sabia que a mudança do rapaz não era fruto de uma conversão sincera, mas apenas do interesse em obter o carro. Isso era mal!
O rapaz seguia os estudos e aguardava o resultado de seus esforços. Assim, o grande dia chegou! Fora aprovado para o curso de Medicina.
Como havia prometido, o pai convidou a família e os amigos para uma festa de comemoração. O rapaz tinha por certo que na festa o pai lhe daria o automóvel.
Quando pediu a palavra, o pai elogiou o resultado obtido pelo filho e lhe passou às mãos uma caixa de presente. Crendo que ali estavam as chaves do carro, o rapaz abriu emocionado o pacote. Para sua surpresa, o presente era uma Bíblia. O rapaz ficou visivelmente decepcionado e nada disse. À partir daquele dia, o silêncio e a distância separavam pai e filho. O jovem se sentia traído e, agora, lutava para ser independente. Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus da Universidade, o tempo passou, ele se formou, conseguiu um emprego e se esqueceu completamente do pai.
Até que um dia o velho, muito triste com a situação, adoeceu e veio a falecer, no enterro, a mãe entregou ao filho, indiferente, a Bíblia que tinha sido o último presente do pai e que havia deixado para trás. De volta à sua casa, o rapaz, que nunca perdoara o pai, quando colocou o livro numa estante, notou que havia um envelope dentro dele.
Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque. A carta dizia: “Meu querido filho, sei o quanto você deseja ter um carro. Eu prometi e aqui está o cheque para que você escolha aquele que mais lhe agradar. No entanto, fiz questão de lhe dar um presente ainda melhor: A Bíblia Sagrada, nela aprenderás o Amor a Deus e a fazer o bem, não pelo prazer da recompensa, mas pela gratidão e pelo dever de consciência”.
Corroído de remorso, o filho caiu em profundo pranto. Como é triste a vida dos que não sabem perdoar. Isto leva a erros terríveis e a um fim ainda pior.
Antes que seja tarde, perdoe aquele a quem você pensa ter lhe feito mal. Talvez se olhar com cuidado, vai ver que há também um “cheque escondido” em todas as adversidades da vida.

sábado, 12 de setembro de 2009



O PROFISSIONAL EFICIENTE




Um Homem foi chamado a uma praia para pintar um barco. Levou tintas e pincéis e começou a pintar o barco de um amarelo brilhante, como fora contratado para fazer.


Enquanto pintava, notou que a tinta estava passando pelo fundo do barco. Procurou e descobriu que a causa do vazamento era um buraco e o consertou.


Quando terminou a pintura, recebeu seu dinheiro e se foi.


No dia seguinte, o proprietário do barco procurou o pintor e lhe entregou um cheque de grande valor. O pintor ficou surpreso e falou:


- O senhor já me pagou pela pintura do barco.


- Mas isso não é pelo trabalho da pintura do barco. - falou o homem.


- É por ter consertado o vazamento do barco.


- Foi um serviço tão pequeno que não quis cobrar - acrescentou o pintor.


- Certamente, o senhor não está me pagando uma quantia tão alta por algo tão insignificante! - Meu caro amigo, você não compreendeu - disse o proprietário do barco.


- Deixe-me contar-lhe o que aconteceu: quando pedia a você que pintasse o barco, esqueci de mencionar o vazamento. Quando o barco secou, meus filhos o pegaram e saíram para uma pescaria. Eu não estava em casa naquele momento. Quando voltei e notei que haviam saído com o barco fiquei desesperado, pois me lembrei que o barco tinha um furo. Grande foi meu alívio e minha alegria quando os vi retornado, são e salvos. Então, examinei o barco e constatei que você havia consertado. Percebe agora o que fez? Salvou a vida dos meus filhos. Não tenho dinheiro suficiente para pagar por sua pequena boa ação.




Se em nossa ação diária, todos nós fizéssemos como aquele pintor, certamente o mundo seria diferente. Mas o que acontece é que fazemos apenas a nossa obrigação, quando fazemos. Fazer o que nos compete, com disposição e zelo, é apenas cumprir um dever. Todavia, se além do dever buscássemos fazer o que precisa ser feito sem que ninguém nos pedisse, poderíamos dizer que estamos investindo numa sociedade melhor. Quem trabalha apenas para receber seu salário demonstra que vale o quanto ganha.




Mas quem executa suas obrigações e vai além, sem esperar recompensa alguma, está investindo na própria felicidade. O trabalho dignifica o ser, mas o trabalho feito com amor e dedicação enobrece a alma. Trabalhar por convicção e prazer, e não por obrigação, é a melhor maneira de se sentir bem, porque, se ninguém elogiar nosso trabalho nem reconhecer nosso esforço, pára nós não fará diferença alguma. A grande satisfação estará calçada unicamente em fazer com excelência o que fazemos, e o salário, nesse caso será apenas uma conseqüência.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

IURD - Passo Fundo RS

Avenida Brasil 498, centro - Passo Fundo - RS
Queremos ajudar você!

Para Refletir

PAPEL AO VENTO

"Um homem", há muito tempo, tanto falou que seu vizinho era ladrão que o rapaz acabou preso! Dias depois, descobriram que era inocente.
O rapaz foi solto, e processou o homem.
No tribunal, "o homem" fala para o juiz:
- Comentários não causam tanto mal assim.
E o juiz responde:
- Escreva os comentários num papel, depois pique e jogue os pedaços no caminho de casa. Amanhã, volte para ouvir a sentença.
O homem obedeceu e voltou no dia seguinte.
- Antes da sentença, terá que juntar os pedaços de papel que espalhou ontem. - disse o juiz.
E o homem:
- Não posso fazer isso. O vento deve tê-los espalhado, já não sei onde estão.
E o juiz:
- Da mesma maneira, um simples comentário pode destruir a honra de uma pessoa, a ponto de não podermos consertar o mal.
Se não se pode falar bem de uma pessoa, é melhor que não se diga nada.

"Sejamos donos de nossa boca, para não sermos escravos de nossas palavras."

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Papéis de Parede da IURD







Vale a pena ler, é um pouco grande, mas é muito interessante.

Ser como a Águia (19 Características)

No mundo inteiro, a águia é símbolo de nobreza. Pela sua força, alteza e vigor, ela desponta-se como campeão indiscutível deste símbolo de grandeza. A águia é forte, viva, corajosa, vencedora, símbolo daqueles que esperam no Senhor. O povo de Deus é como a águia. É um povo forte. É um povo guerreiro. É um povo que triunfa sobre as tempestades. É um povo vencedor. É um povo que não retrocede diante das dificuldades da vida, não teme o perigo, nem se intimida com as ameaças do diabo. É um povo que marcha altaneiramente, segundo as leis do céu, rompendo barreiras, vencendo grilhões, conquistando as alturas, e refugiando-se no Deus Todo-poderoso.

É preocupante, entretanto, perceber que existem, hoje, muitos cristãos vivendo um projeto diferente de vida. Ao contrario da águia, são tímidos, fracos, impotentes, dominados pelo medo.

É lamentável constatar como tantos cristãos vivem dominados pelo complexo de inferioridade, esmagados pela prejudicada auto-estima, com a auto-imagem achatada. São pessoas que vivem amargando e curtindo um profundo sentimento de auto-repúdio e desvalor. Esses olham para dentro de si mesmos e enxergam-se com lentes embaçadas e olhos míopes, tendo de si mesmos os conceitos mais distorcidos e descalibrados.

O caminho da águia é no céu (Pv.30:19). Ela não foi criada para viver arrastando-se nos vales da vida e nas depressões da terra. Deus a criou para as alturas. Com base nesse fato, destaco 3 lições da mais alta importância para sua reflexão.

1- A águia voa alto. Ela tem vocação para as alturas, ela é a rainha do espaço, ela não é como inhambu que vive levando tiro na asa, presa fácil dos caçadores porque só voa baixo. Há muitas pessoas que vivem também num plano muito inferior, voando baixo demais e sofrendo ataques de todos os lados porque não saem das zonas de perigo, vivem pisando em terreno minado, com os pés no território do adversário.

2- A águia voa cada vez mais alto. Ela tem uma característica muito interessante. Quando ela faz seu segundo vôo ele é mais alto do que o primeiro. Quando ela faz o seu terceiro vôo, ele é mais alto do que o segundo, ela sempre se esforça para voar cada vez mais alto, com isso ela tem uma lição muito profunda a nos ensinar, Se os que confiam no Senhor são como a águia, então nós não precisamos ter uma vida de altos e baixos. A muitos cristãos que são instáveis demais. Sua fé oscila como a onda do mar. Não se firmam, não crescem, não amadurecem, são reincidentes em repetidas quedas.

3- A águia voa acima da tempestade. A águia ainda nos encima uma terceira lição: sempre que divisa no horizonte a chegada de uma ameaçadora tempestade, sempre que vê as nuvens escuras e os relâmpagos riscando o céu, sempre que ouve o ribombar dos trovões, ela agiganta ainda mais os seus esforços e voa com intrepidez para as grandes alturas, pairando acima da tempestade, onde sobrevoa em perfeita bonança, temos também, em nossa jornada muitas tempestades. Muitas delas são ameaçadoras e perigosa é insensatez viver abaixo e sofrer os efeitos catastróficos da tempestade. O segredo na hora da crise é voar um pouco mais alto e agasalharmos debaixo das assas do Deus uni potente. Ele é a nossa torre de libertação. Ele é o nosso auto-refugio. Ele é o nosso esconderijo seguro, ele é o nosso abrigo no temporal.

4 - A águia é transparente, ela tem uma capacidade fantástica de voar em linha reta como uma fecha, como um projétil. Seu vôo não é em círculo, nem sinuoso. Que lição isto nos comunica ? Os que esperam no Senhor precisam também voar em linha reta, ou seja, precisam ser transparentes e íntegros. A vida do cristão não pode ter sinuosidades, não pode ter nada escondido e secreto, o cristão é filho da luz e deve viver na luz, sem máscaras e sem disfarces, nossa palavra precisa ser sim, sim; não, não.

5- Em círculo não, para frente. A águia voa reto porque tem um alvo definido. Ela sabe de onde veio e para onde vai. Ela não vive sem rumo, sem referencial, sem destino certo. Ela voa para frente. Não esta perdida existencialmente. Não vive estagnada como a preguiça. Não anda para trás como o caranguejo. Revela no seu vôo desenvolvimento, progresso, crescimento, avanço. A pessoas que diferentemente da águia, são como o urubu. O vôo do urubu não é em linha reta, mas em círculo. Ele voa para lugar nenhum, ele voa sem Avançar para frente, sem progredir.

6- Visão integral. A águia tem a capacidade de enxergar em todas as direções, por todos os ângulos em todas as perspectivas. Ela enxerga para frente, dos lados e, com pequeno esforço da cabeça, também enxerga para trás. Ela enxerga num raio de 360 graus. Sua visão é global. Ela vê tudo, percebe os detalhes e toma sempre a melhor direção, quando a bíblia diz que somos como águia, ela tem algo a nos ensinar quanto a esta matéria. Os que esperam no Senhor precisam ter uma visão abrangente e dilatada das coisas. O cristão não pode ser uma pessoa bitolada, de mente estreita. Ele não pode apenas enxergar seu micro universo como se estivesse olhando para um tubo.

7- Pleno discernimento. A visão é um dos prodígios mais fantásticos da criação. Nosso olho é mais complexo do que a mais intricada invenção humana. O olho é um dos órgãos mais extraordinários do corpo. Segundo o famoso oftalmologista John Wilson, temos mais de 60 milhões de fios duplos encapados em cada olho. Nosso olho é infinitamente mais sofisticado que a mais modernas câmaras de imagens que o homem já inventou. Uma das coisas mais interessantes que temos em nossa visão é a capacidade de, num quadro geral, focar um ponto especifico, concentrando nossa atenção nele, sem perder a imagem global do cenário.

8- Precisamos ter uma clara visão do alto. A águia é a única ave que pode mirar o sol de frente sem ficar deslumbrada.Deus quer que os seus filhos vejam o que os outros não podem ver.

9- Liberdade sim, cativeiro não. A águia é uma ave que ama a liberdade. Ela tem intimidade com as alturas. Não sabe viver em cativeiro. Não consegue viver em gaiolas. Não sobrevive enjauladas em zoológicos. Ela morre mas não fica cativa, ela não aceita outra condição para sua vida se não a liberdade. Nós também fomos chamados para a liberdade. Para a liberdade foi que Deus nos libertou (Gl. 5:17).

10- Os cristãos não podem viver cativo com medo do diabo. Ha cristão que vivem roendo as unhas, tremendo, assustados, com medo do diabo. Sentem-se acuados. Perde a alegria da comunhão com Deus de tanta preocupação que tem com o diabo.

11- O cristão não pode viver cativo da omissão. Há cristãos que são agentes secretos de Jesus. Não se identificam como embaixadores do reino. Sua vida é tão insípida, tão inexpressiva que ninguém nota que eles são de Jesus, se é que são. Vivem calados, quando se trata de falar de Jesus. São destemidos para falar de futebol. São ágeis para discursar sobre a moda. Conversam com desenvoltura sobre os filmes de sucesso mas não abrem a boca para falar de Jesus, são omissos, estão cativos! A Igreja de Deus não pode ser um exército de mudos.

12- Fidelidade, base de casamento feliz. A águia tem uma característica muito interessante. Ela não é como as outras aves na área do acasalamento. As aves domésticas não observam a lei da relação restrita. Apenas um galo, por exemplo, cobre dezenas de galinhas. O comportamento da águia é diferente, ela observa o principio da fidelidade ao seu parceiro. Cremos que este é um dos mais importantes princípios para o homem em todos os tempos, a fidelidade conjugal é a base de todo casamento estável e feliz.

13- Quebrantamento e renovação. Uma das características mais interessantes da águia é sua renovação. Davi expressou esta idéia no Salmo 103:5 “ …. Deus, é quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia” . Como se dá esse processo? A águia, quando começa a sentir que suas penas estão ficando velhas e enferrujadas, quando começa perceber que o seu bico já não está tão afiado e forte; quando descobre que suas garras já estão enfraquecendo, toma uma medida drástica, quase traumática para sair deste quadro desolador. O que ela faz ? A primeira coisa que a águia faz é interromper as suas atividades, ela não prossegue o seu trabalho, seus vôos, sua casa, suas aventuras, fecha sua agenda e cancela os compromissos. Há momentos em que a melhor ação é ficar parado. Nem sempre é prudente avançar, Deus não está interessado em ativismo. Ele está mais interessado no que somos do que naquilo que fazemos, trabalho sem vida é infrutífero. Ativismo sem santidade não agrada o coração de Deus, precisamos aprender com a águia. A segunda coisa que a águia faz é isolar-se nos altos dos penhascos, a águia é uma ave solitária, ela não voa em bandos, sobretudo, quando está nesse processo de alta renovação, ela alça um vôo altaneiro, galga as alturas mas excelsas e refugia-se no cume dos mais altos penhascos. Ali ela fica sozinha, isolada enfrentando a sua própria realidade. A terceira coisa que a águia faz é arrancar suas penas velhas, a águia ao chegar ao cume do penhasco, começa arrancar com o bico uma, uma de suas penas. Não poupa a si mesma dessa dor intensa, as penas são todas arrancadas, seu corpo vai ficando desfigurado, a medida que ela aplica os seus golpes severos, sua medida é drástica, sua postura radical. Não há restauração, sem reforma antes de edificar e construir, é preciso derrubar e demolir, antes da renovação vem o despojamento, antes do avivamento vem o quebrantamento. A águia depois que acaba de arrancar todas as penas, fica num estado deplorável, seu corpo parece mutilado. Sua aparência fica desfigurada, contudo, depois de alguns dias, começam a nascer penas novas, lindas e fortes, ela se remoça. Tudo se faz novo. Ela ganha uma nova aparência.

14- A quarta coisa que a águia faz é esfregar o seu bico na rocha. A águia não arranca não as penas velhas, mas quando percebe que o seu bico já está ficando fraco, impotente e cheio de crosta, ela o esfrega fortemente na rocha; esfrega-o, esfrega-o, até ficar em sangue vivo, após este processo doloroso ela fica totalmente desfigurada, mas dias depois, cresce um bico novo forte como aço.

15- A quinta coisa que a águia faz é bater suas garras na rocha. Nesse processo de alto renovação quando percebe que as suas garras estão fracas e impotentes, a águia bate as com força sobre a rocha, várias vezes até que aquela camada envelhecida e calosa seja arrancada, ficando em carne viva. Ela fica toda ensangüentada, sobre o flagelo de dores crudelíssimas. Todavia, após este processo de autoflagelação e quebrantamento, as garras começam a brotar com toda pujança e vigor, fortes como o ferro. Agora remoçada, revitalizada, ela desce das alturas para dar continuidade a sua vida e as suas atividades.

16- Meus filhos, meus discípulos. Uma das características mais interessantes da águia é o seu cuidado com os seus filhotes, certamente devemos olhar para a águia e aprender com ela como devemos cuidar da família, a águia não põe o ninho dos seus filhos perto dos predadores em lugares baixos e perigosos. A águia não espõe seus filhos as bestas feras, ela não os deixa e, lugares vuneráveis. Pelo contrário, ela só faz o seu ninho no alto dos rochedos, no cume dos penhascos.Ela é zelosa em colocar o ninho dos seus filhos nas alturas.

17- A águia voeja sobre os seus filhos. “ Como a águia desperta a sua ninhada e voeja sobre os seus filhotes, estende as suas asas, e, tomando-os, os leva sobre elas…” Dt. 32:11. Quando os filhotes da águia já estão grandes, na hora de sair do ninho, a águia então, começa a voejar sobre o ninho mostrando-lhe como sair.

18- A águia tira a maciez do ninho e só deixa os espinhos. Quando a águia percebe que é hora de seus filhotes voarem e ainda assim eles continuam acomodados no ninho, a despeito de seu exemplo, ela decide remover do ninho toda a cobertura macia e deixa apenas os espinhos e os gravetos pontiagudos. Ela gera um desconforto para os filhos. Ela não deixa de amá-los por isso, mas prefere vê-los incomodados a ficarem acomodados no ninho. O conforto do ninho significa agora estagnação, imaturidade, inoperância e atrofiamento. A águia não hesita em aplicar esta lição aos filhos, ainda que uma lição dolorosa. Ela só não admite ver os filhos deitados em berço esplêndido, quando o mundo lá fora os espera para uma ação dinâmica e urgente.

19- A águia tira os filhos do ninho. É estonteante constatar que, mesmo afligidos com espinhos e alfinetados por farpas pontiagudas, os filhotes da águia ainda teimam em continuar no ninho.Esta mesma realidade é vista na Igreja hoje. Muitas vezes, Deus, ao ver o comodismo da igreja, envia sobre ela perseguição, remove dela todo conforto, deixa-a sobre um tapete eivado de espinhos para que ela se desinstale de seu comodismo. Foi assim que Deus fez em Jerusalém. O avivamento estava em pleno vigor, multidões se convertiam. Mas a igreja estava restrita a Jerusalém. O plano de Deus era que a igreja ultrapassasse aquela fronteira e fosse até os confins da terra.

Vigiai e orai, pois a vinda do SENHOR está próxima...

video

domingo, 6 de setembro de 2009

Milho de Pipoca

"Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre".
Assim acontece com a gente.
As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.
Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder emprego ou ficar pobre.
Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também. Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer. Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece:
BUM!
E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria para ninguém.
Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre.

sábado, 5 de setembro de 2009

Quando tudo parece perdido e já não há mais saída...O Socorro Vem

O video

A GRANDEZA DE DUBAI

COHAB - DUBAI



O hotel Atlantis, The Palm, está situado em «Palm Jumeirah», a primeira das três ilhas artificiais em forma de palmeira construídas pela Najeel. Custou mais de mil milhões de dólares e conta com 1539 quartos, a um preço de 28 mil euros por dia. Além disso, possui o maior parque aquático do Médio Oriente e um gigantesco aquário de 11 milhões de litros de água.


Aerporto Internacional de Dubai, o maior aeroporto do mundo

157 elevadores
97 escadas rolantes
82 esteiras rolantes
27 truck lifts (ao pé da letra, elevadores de caminhões)
8 carros que andam em trilhos elevados (monorails), cada um com capacidade de 47 passageiros
Capacidade para operacionalizar 17.000 passageiros a qualquer momento
Aprox. 180.000m², algo como 18 quadras, de estacionamento
Só o setor de partidas tem 515.000m²!!!

Somente os FORTES podem vencer, por isso, seja FORTE, seja um VENCEDOR...

PENSE COMO UM VENCEDOR

Pense como um vencedor.
Campeões não nascem sabendo, e não são feitos da noite para o dia.
Existe um longo caminho a percorrer até alcançar as vitórias nem sempre é um percurso fácil.
Muitas vezes, no começo desse caminho, alguns experimentam o gostinho do sucesso e logo passam a ser vistos como grandes promessas.
Nesta hora, por vaidade ou falta de experiência, já se consideram vencedores e acham que isso é suficiente. A ilusão de serem meninos prodígios faz com que não percebam que as vitórias são construídas com suor e muito estudo planejamento e estratégia.
Quando você se propuser a algo seja total seja pleno, entre por inteiro. Não importa o que conseguiu no passado o agora é um novo momento e para saborea-lo você deve saber vivê-lo com intensidade.
O campeão sabe que para conseguir seus melhores resultados precisa estar atento a tudo, pois sabe que o adversário vai tentar de todas as formas anular suas melhores jogadas explorar seus pontos fracos, e minar-lhe as forças. Em vez de reclamar e sua a camisa a cada minuto e procura melhorar cada vez mais. O perdedor reclama constantemente que sempre lhe estão cobrando mais e mais.
A dúvida faz com que você não esteja inteiro, com que você não entre por completo, e os resultados sempre serão limitados.
O campeão não conhece as perguntas que se iniciam com a palavra será,
Será que tenho sorte,
Será que vou conseguir,
Será que vai dar certo.
As perguntas que se iniciam com a palavra será destroem a confiança a certeza a fé.
No momento que o jogador pergunta será que vou ser campeão? Será que vou marcar o gol?
A duvida afrouxa seus pensamentos e músculos e ele não faz o gol. Os milímetros desviados pela bola foram fatais e criaram a diferença entre a derrota e a vitória.
A indecisão faz com que você não tenha fé não tenha certeza. Os seus atos podem ser os mesmos, mas não terão a mesma força o que quer que seja que fizer faça-o intensamente, e os resultados serão igualmente intensos.
A dúvida é o cupim da existência.
Em outras palavras, você foi construído segundo as mais altas especificações e tem muitos talentos e habilidades.
Tenha confiança em si mesmo. Acredite em suas capacidades pois você é quem pensa que é.
Por isso e muito mais seja o melhor seja o campeão.